Aguarde...

Advertência | 25/03/2012 09:08

'Coreia do Norte não vai conseguir nada com ameaças', diz Obama

Obama diz que que se a Coreia decidir lançar satélite por meio de um foguete de longo alcance, os EUA 'difícilmente' vão enviar a ajuda alimentícia

Mark Wilson/ Getty Images

Obama em coletiva

Em acordo bilateral, a Coreia do Norte se comprometeu a abandonar testes nucleares e lançamentos de foguetes em troca do recebimento de 240 mil toneladas de alimentos

Seul, 25 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fez neste domingo uma dura advertência à Coreia do Norte para que o país desista de lançar um foguete de longo alcance que, de acordo com Pyongyang, colocará um satélite em órbita.

Em entrevista coletiva conjunta com o presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, com quem participou hoje em Seul de uma reunião prévia à II Cúpula sobre Segurança Nuclear - que começará amanhã na capital sul-coreana -, Obama disse que o lançamento representaria 'uma violação direta aos próprios compromissos (da Coreia do Norte)', e que o regime comunista 'não vai conseguir nada com ameaças ou provocações'.

O presidente americano declarou ainda que atualmente, após a morte de Kim Jong-il e sua substituição por parte de seu filho Kim Jong-un, 'não está claro' quem controla o poder na Coreia do Norte.

Obama indicou que se a Coreia do Norte decidir lançar o satélite por meio de um foguete de longo alcance, os Estados Unidos 'difícilmente' vão enviar a ajuda alimentícia firmada em um acordo bilateral no mês passado.

Segundo este acordo, a Coreia do Norte se compromete a abandonar seus testes nucleares e os lançamentos de foguetes de longo alcance em troca do recebimento de 240 mil toneladas de alimentos.

Washington e Seul alegam que o lançamento representaria uma violação não só desse acordo, mas também dos compromissos internacionais da Coreia do Norte, que quer lançar o foguete para comemorar o centenário de nascimento do ex-líder Kim Il-sung.

'Nós indicamos claramente que consideraríamos difícil seguir adiante com o acordo' de assistência alimentícia se a Coreia do Norte lançar o míssil. É difícil fornecer ajuda se uma das partes não acredita que ela chegará às pessoas que precisam dela', afirmou o presidente americano.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados