Aguarde...

Emergência | 27/09/2013 13:38

Conselho de Segurança da ONU convoca reunião sobre a Síria

Conselho de Segurança da ONU convocou para essa sexta uma reunião sobre a Síria, depois que Estados Unidos e Rússia chegaram ontem a um acordo sobre resolução

Khaled al-Hariri/Reuters

Carros da ONU na Síria

Carros da ONU na Síria: 15 membros do principal órgão de decisão das Nações Unidas se reunirão a partir das 20h locais (21h de Brasília)

Nações Unidas - O Conselho de Segurança da ONU convocou para essa sexta-feira uma reunião sobre a Síria, depois que Estados Unidos e Rússia chegaram ontem a um acordo para aprovar uma resolução sobre o uso de armas químicas nesse país.

Os 15 membros do principal órgão de decisão das Nações Unidas se reunirão a partir das 20h locais (21h de Brasília), anunciou em um breve comunicado a Austrália, que ostenta a presidência rotativa do Conselho.

A convocação chega depois que Rússia e EUA anunciaram que, após intensas conversas diplomáticas nas últimas semanas, chegaram a um acordo que destrava as negociações no Conselho, incapaz de pronunciar-se sobre a Síria há dois anos e meio.

Os representantes de Rússia e EUA nas Nações Unidas, Vitaly Churkin e Samantha Power, respectivamente, falaram separadamente com a imprensa para anunciar uma minuta de resolução que seria submetida à votação nesta sexta-feira.

OS Estados Unidos, com o apoio de França e Reino Unido, propunham um texto que invoque o Capítulo 7 da Carta das Nações Unidas, que abriria a porta a sanções ou inclusive ao uso da força, ao que se opunha a Rússia, tradicional aliada do regime sírio.

No final optou-se por um texto no qual se abre a porta a invocar esse Capítulo 7, mas sujeito à aprovação de uma nova resolução, e que estabelece que haverá 'consequências' se a Síria não cumprir seus compromissos internacionais.

O texto condena de forma enérgica o uso de armas químicas por parte da Síria, em particular o ataque do último dia 21 de agosto, como 'uma violação do direito internacional', e determina que seu uso é 'uma ameaça para a paz e a segurança internacional'.

*Matéria atualizada às 14h17

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados