O republicano Donald Trump e o democrata Bernie Sanders ganharam ontem (9) as primárias de New Hampshire, uma etapa importante da corrida eleitoral norte-americana para a escolha do presidente dos Estados Unidos.

As eleições norte-americanas ocorrerão em novembro deste ano. Antes, porém, os candidatos lutam, em eleições primárias ou em assembleias, para serem escolhidos pelos partidos.

Nas primárias dessa terça-feira, o bilionário Donald Trump ficou com 34% dos votos dos republicanos, mais do que o dobro do pré-candidato John Kasich, governador de Ohio, que alcançou 16%. Em terceiro lugar, com 12%, ficou o senador do Texas Ted Cruz.

Pelo lado democrata, o senador Bernie Sanders ganhou 60% dos votos, enquanto a ex-secretária de Estado Hillary Clinton ficou com 39%.

As primárias de New Hampshire constituem a primeira de uma série de eleições – com urnas e votos secretos - que visam a escolher os delegados que vão votar nas convenções nacionais partidárias.

Antes das primárias de New Hampshire houve o caucus de Iowa. Os caucuses – ou assembleias - também fazem parte etapa prévia que visa a escolher os delegados que vão votar por cada partido.

Até as convenções nacionais partidárias, que ocorrerão em junho, haverá várias primárias e assembleias (caucuses) em todo o país.

Segundo o professor da Universidade de San Diego (California) Casey Dominguez, um candidato democrata precisa ganhar os votos de pelo menos 2.383 delegados.

No total, a convenção nacional do partido terá 4.764 delegados. Já o candidato republicano precisa ser homologado por pelo menos 1.237 delegados, de um total de 2.472 delegados do partido.

“Portanto, é muito cedo para saber qual candidato será escolhido por cada partido”, disse o professor.

Tópicos: Empresários, Celebridades, Donald Trump, Eleições americanas, Estados Unidos, Países ricos