Trípoli - O presidente do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia, Mustafah Abdel Jalil, ameaçou nesta quarta-feira recorrer à força para impedir a autonomia do leste do país, proclamada na véspera por vários chefes de tribos e milícias.

"Não estamos preparados para uma divisão da Líbia", disse Abdel Jalil, em declarações à televisão formuladas de Misrata (210 km a leste de Trípoli).

Abdel Jalil convocou ao diálogo seus irmãos desta região chamada Cirenaica, mas, ao mesmo tempo, lançou uma advertência.

"Devem saber que 'infiltrados' e 'restos' do regime de Kadafi tentam utilizá-los e que estamos decididos a dissuadi-los, inclusive através da força", declarou Abdeljalil.

Chefes de várias tribos e milícias do leste da Líbia declararam nesta terça-feira a autonomia desta região petroleira, pronunciando-se a favor de um sistema federal.

O chefe da autoridade de transição reagiu imediatamente, acusando alguns países árabes, sem citá-los, de sedição.

"Lamentavelmente, países irmãos árabes financiam e apadrinham a sedição que ocorreu no leste para não ficarem contaminados pela revolução", afirmou Abdel Jalil.

Tópicos: Crise política, Governo, Líbia, África