Aguarde...

Reciclagem | 05/03/2011 11:08

Catadores de materiais recicláveis levam sustentabilidade ao Sambódromo do Rio

Serão ao todo 70 catadores indicados pela Federação das Cooperativas de Catadores do Estado do Rio de Janeiro

Alan Betensley/Wikimedia Commons

Desfile de Carnaval no Rio de Janeiro

Desfile de Carnaval: profissionais acompanham desfiles e levam reciclagem ao Sambódromo

Rio de Janeiro - Pela primeira vez no carnaval, a Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) firmou parceria com entidades representativas de catadores de materiais recicláveis para a coleta de material reaproveitável no Sambódromo.

Serão ao todo 70 catadores indicados pela Federação das Cooperativas de Catadores do Estado do Rio de Janeiro (Febracom) e pelo Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), além da Cata Rio Solidário, uma cooperativa central de coleta seletiva.

Nos anos anteriores, o trabalho era desenvolvido diretamente com as cooperativas de catadores e não com as entidades representativas da categoria.

“Esse programa gera para eles (catadores) no período de carnaval uma renda extra, porque já são filiados às cooperativas credenciadas por essas entidades”, disse à Agência Brasil o gerente de Coleta Seletiva da Comlurb, Jorge Otero.

O trabalho é coordenado pela Comlurb, em parceria com a Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa) e a Riotur, e conta com patrocínio da Coca-Cola Brasil. “Está caminhando para o profissionalismo”, afirmou o gerente.

Otero revelou que, neste carnaval, o trabalho dos catadores na Passarela do Samba vai inovar também porque, além de latinhas de cerveja e refrigerante, serão recolhidos materiais plásticos recicláveis.

No carnaval do ano passado, foram coletadas no Sambódromo do Rio 13 toneladas de latinhas de alumínio. “Foram 78% a mais do que em 2009”. A expectativa para 2011 é de aumento devido à ampliação do número de catadores e, ainda, ao fato de a catação ser ampliada para material plástico reciclável, argumentou o gerente da Comlurb.

Claudete Costa, da Cooperativa Reciclando para Viver, disse que a expectativa é muito otimista. “Os catadores cadastrados ganham credencial para ter acesso às arquibancadas e camarotes, para reforçar o serviço”.

Jorge Otero destacou a importância do trabalho. “É um passo em direção à sustentabilidade”. Lembrou que o Brasil é líder mundial de reciclagem de alumínio, com índice em torno de 98%. O país ocupa também a liderança em reciclagem de garrafas PET, com 55%. “Isso é muito importante para o meio ambiente, além de gerar trabalho e renda para as pessoas que têm menos oportunidades”.

Este ano, a meta de catação é de 20 toneladas de materiais recicláveis nos dias de desfile no Sambódromo. Considerando desde os ensaios técnicos, realizados nos meses de janeiro e fevereiro, até o desfile das campeãs, no próximo dia 12, a projeção é chegar à coleta de até 40 toneladas de latinhas de cervejas e refrigerantes e material plástico.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados