São Paulo - "O que nós esperamos alcançar, é algo que qualquer pessoa que está em uma relação deseja."

Juntos há sete anos, Hakkim e Falastin resolveram dar um passo na sua relação. Os namorados, que nasceram e vivem na Faixa de Gaza, querem se casar.

"E é por isso que a única coisa que queremos é continuar nossa jornada juntos e tornar o nosso sonho realidade."

Selar a união, no entanto, não é tão fácil assim. Com a economia sufocada por causa das difíceis relações com o Egito e, principalmente, com Israel, pouquíssimas pessoas conseguem bancar uma festa.

Hakkim trabalha como arquiteto e Falastin é engenheira de computação. Os dois, no entanto, estão desempregados. A Faixa de Gaza concentra o maior percentual de jovens desempregados do Oriente Médio.

Por isso, o casal resolveu criar uma página de financiamento coletivo, para arrecadar US$ 9.000, e arcar com todos os custos da cerimônia.

"Em nossa sociedade, o casamento não pode ser feito indo apenas a um cartório e assinando um documento. Para que nós possamos viver juntos, nossas famílias e a sociedade precisam aceitar nosso relacionamento, e por isso que precisamos seguir os procedimentos tradicionais", contam.

De acordo com Hakkim e Falastin, eles precisam comprar um apartamento mobiliado e bancar todos os custos de uma cerimônia formal.

Até agora, eles já arrecadaram mais de US$ 5.000. "Nós não queremos sair de Gaza, nós queremos ajudar a reconstruir esse lugar e construir um futuro para nós e para a nossa nação. Esperamos que você nos ajude a construir nossa nova vida juntos".

Tópicos: Casamento, Palestina, Faixa de Gaza, Guerras