São Paulo - Centenas de cartas e fotografias trocadas entre o falecido papa João Paulo II e a filósofa polonesa Anna-Teresa Tymieniecka, mostram que o pontífice nutriu uma "forte amizade" com uma mulher casada, de acordo com uma reportagem do canal da TV britânica BBC.

As cartas foram mantidas longe do público pela Biblioteca Nacional da Polônia por anos, e não sugerem que a o papa quebrou seu voto de castidade, diz a BBC.

A amizade entre João Paulo e Tymieniecka teria começado em 1973 quando a filósofa entrou em contato com o futuro papa, Karol Wojtyla, à época arcebispo da Cracóvia, para tratar de um livro de filosofia que ele havia escrito.

Ela viajou dos Estados Unidos - onde morava - para a Polônia para conversar sobre o trabalho, e então, o par começou a trocar correspondências que ficaram cada vez mais íntimas, segundo a reportagem.

Tymieniecka e Wojtyla teriam decidido trabalhar juntos em uma versão expandida do livro do pontífice. Eles também teriam se encontrado muitas vezes e trocado cartas frequentemente.

Ainda de acordo com a BBC, Tymieniecka parecia ter revelado sentimentos intensos por Wojtyla por causa de suas cartas que sugerem um homem "lutando para dar sentido a sua amizade em termos cristãos".

A reportagem diz que Wojtyla teria convidado a filósofa para esquiar durante feriados e para passear pelos campos. (Matheus Maderal - matheus.maderal@estadao.com)

Tópicos: Papas, Europa, Polônia