São Paulo - As fabricantes de aviões Boeing e Embraer vão financiar, em conjunto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), um estudo de viabilidade de combustíveis a base de cana-de-açúcar para abastecimento de jatos.

Com base em padrões internacionais de sustentabilidade, serão avaliadas as emissões de gases do efeito estufa no ciclo de produção em larga escala de biocombustíveis para aeronaves.

A pesquisa é a primeira a ser beneficiada por meio de acordo de cooperação regional com instituições públicas e privadas proposto pelo BID para ajudar no desenvolvimento da indústria de biocombustíveis para jatos.

“Novas tecnologias para produção de combustíveis de fonte renovável para jatos têm potencial de reduzir significativamente as emissões de gases de efeito estufa, como o etanol extraído da cana-de-açúcar já demonstrou no Brasil”, ressaltou o líder da Iniciativa de Biocombustíveis Sustentáveis para Aviação do BID, Arnaldo Vieira de Carvalho.

O projeto, previsto para ser concluído em 2012, ajudará a diversificar as fontes de combustíveis para a aviação, destacou o vice-presidente de Meio Ambiente da Boeing, Billy Glover. “A garantia da sustentabilidade das fontes de energia que podem abastecer as cadeias de suprimentos regionais são fatores críticos e o Brasil tem um forte papel a exercer.”

O diretor de Estratégia e Tecnologia para o Meio Ambiente da Embraer, Guilherme de Almeida Freire, disse que a iniciativa integra a força do Brasil na produção de combustíveis renováveis com o desenvolvimento sustentável da aviação.

“O Brasil é uma rica fonte de biomassa e o desenvolvimento dessa tecnologia, baseada na cana-de-açúcar, reforça a importância do crescimento sustentável da aviação para o país.”

Tópicos: Biocombustíveis, Combustíveis, Boeing, Empresas, Empresas americanas, Embraer, Setor de transporte, Empresas de tecnologia, Empresas abertas, Sustentabilidade