São Paulo – Mais uma teoria se forma em torna do misterioso sumiço do voo 370 da Malaysia Airlines: o avião pode ter pousado em ilhas indianas.

Dados de radares revelados pela Reuters sugerem que a aeronave poderia ter pousado nas Ilhas Andaman, depois de o piloto deliberadamente desligar o transponder e mudar de rota.

O Washington Post já tinha revelado que dados automáticos do Boeing, enviados à BoeingCo., mostravam que o avião tinha viajado por mais quatro horas depois de ter perdido contato com o solo.

Os radares não indicam que ele esteja nas Ilhas Andaman, mas que teria feito uma rota até lá. As ilhas pertencem à Índia e ficam entre o Golfo de Bengala e o Mar de Andaman.

Quem controlou a aeronave fez uma rota totalmente oposta à oficial depois de sumir dos radares, pegando uma outra rota - geralmente usada por aviões que fazem trajetos entre o Oriente Médio e a Europa.

Autoridades indianas já estão fazendo buscas pelo local, que é inabitado.

Segundo a CNN, entretanto, especialistas consideram improvável que o avião tenha pousado sem ser detectado pelos radares.

Autoridades indianas falaram que é impossível que o avião tenha pousado no arquipélago sem ser notado.

Contudo, com essas informações dos radares indicando a região das ilhas, reforça-se a hipótese de que ele possa ter caído no Oceano Índico, bem longe dos primeiros locais de busca, próximos à Malásia, China e Vietnã.

A China também revelou que um movimento estranho no mar foi detectado e poderia dar algumas pistas sobre a aeronave.