Taipé - O Poder de Controle, órgão encarregado de fiscalizar o governo de Taiwan, informou nesta sexta-feira que um vazamento de água radioativa de uma usina nuclear próxima à zona mais povoada de Taiwan afeta a região há três anos e, por isso, ressaltou que o problema deve ser corrigido urgentemente.

Os reatores 1 e 2 da Usina Nuclear de Jinshan, situada no Novo Taipé, lançaram no total 20 litros de água com substâncias radioativas, tais como o césio-137, o cobalto-60 e o manganês-54, assinalou o organismo em relatório.

A empresa elétrica Taipower, que opera a central, ofereceu explicações inconsistentes com os estudos do Conselho de Energia Atômica de Taiwan, acrescentou o relatório, que também assinalou outros dois erros no armazenamento do material radioativo.

Funcionários da Taipower asseguram que a água não procede dos reatores, mas da condensação da água usada na limpeza da usina nuclear.

Segundo o relatório, a Taipower atrasou em mais de 10 anos a construção de instalações para armazenar temporariamente os resíduos nucleares e diz ter perdido um relatório sobre seu manejo, encarregado ao laboratório Pacific Northwest National dos Estados Unidos.

Esta censura do organismo vem à tona em um momento em que as autoridades da ilha debate o futuro de sua quarta usina nuclear, quase finalizada, mas que conta com a rejeição tanto grupos ambientalistas como da oposição.

Na atualidade, Taiwan dispõe de três usinas nucleares ativas, com cinco reatores.

Tópicos: Energia, Energia nuclear, Infraestrutura, Taiwan, Ásia, Usinas nucleares, Água