O centro de crise belga aconselha as pessoas a ficarem em casa e pedem que os alunos fiquem nas escolas na manhã de hoje (22), como medida de segurança, após atentados terroristas no aeroporto de Bruxelas e em uma estação de metrô da capital.

As autoridades também aconselham as empresas que funcionam em Bruxelas a manterem seus funcionários dentro de suas respectivas instalações.

Bruxelas alvo de dois atentados, com duas explosões no aeroporto internacional e uma no metrô da capital belga, que deixaram pelo menos 34 mortos e 187 feridos.

“O gabinete do ministro da Educação aconselha os alunos a ficarem nas instalações das escolas”, divulgou o gabinete de crise criado pelo governo belga, em uma mensagem publicada na rede social Twitter.

Em outra mensagem, o centro de crise pede às pessoas em Bruxelas para “ficarem seguras e ficarem dentro de casa”. “Alunos foram aconselhados a ficarem nas escolas e a funcionários de escritórios, foi pedido para não saírem”, diz outra mensagem.

Devido à sobrecarga das redes de comunicações móveis, o centro de crise também pede que as chamadas de emergência sejam feitas a partir de um telefone fixo.

A última vez que a cidade de Bruxelas passou por situação semelhante foi em novembro do ano passado, após os atentados de Paris, que fizeram 130 mortos e mais de 300 feridos.

O nível de alerta terrorista na Bélgica foi elevado para quatro, o maior da escala.

Tópicos: Terrorismo, Ataques terroristas, Bélgica, Europa, Países ricos, Segurança digital