Aguarde...

Dia contra obesidade | 11/10/2013 10:43

Até 2015 serão 2,3 bi de pessoas com sobrepeso

Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, foi criado há cinco anos para incentivar o debate sobre o tema e ações para melhora da qualidade de vida

Getty Images

Pessoa se pesa em balança

Pessoa se pesa: estudos têm demonstrado que a obesidade está fortemente associada a um risco maior de desfechos, sejam cardiovasculares, câncer ou mortalidade

São Paulo - Nesta sexta-feira, 11/10, temos o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade, data criada há cinco anos para incentivar o debate sobre o tema e ações para melhora da qualidade de vida, com mudanças de hábitos alimentares e prática de atividade física. A Organização Mundial de Saúde aponta a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo.

A projeção é que, em 2015, cerca de 2,3 bilhões de adultos estejam com sobrepeso; e mais de 700 milhões, obesos. Vários estudos têm demonstrado que a obesidade está fortemente associada a um risco maior de desfechos, sejam cardiovasculares, câncer ou mortalidade. A obesidade é causa de incapacidade funcional, de redução da qualidade de vida, redução da expectativa de vida e aumento da mortalidade.

Condições crônicas, como doença renal, osteoartrose, câncer, diabetes tipo 2, apneia do sono, doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA), hipertensão arterial e, mais importante, doenças cardiovasculares estão diretamente relacionadas com incapacidade funcional e com a obesidade. Além disso, muitas dessas comorbidades também estão diretamente associadas a doenças cardiovasculares.

Muitos estudos epidemiológicos têm confirmado que a perda de peso leva à melhora dessas doenças, reduzindo os fatores de risco e a mortalidade. Este 11 de outubro é também um dia para cobrar do governo ações mais efetivas na prevenção e controle da doença. Há cinco meses, o Ministério da Saúde divulgou a portaria 424, que redefine as diretrizes para a organização da prevenção e do tratamento do sobrepeso e obesidade como linha de cuidado prioritária da Rede de Atenção à Saúde das Pessoas com Doenças Crônicas. Colocar a portaria em prática depende de um trabalho integrado entre o Ministério e as secretarias estaduais e municipais de saúde, para traçar planos regionais de ação.

Enquanto isso não ocorre, assistimos ao crescimento vertiginoso do sobrepeso e da obesidade no país, como apontam dados divulgados pelo próprio Ministério da Saúde, em agosto deste ano, pela pesquisa Vigitel: 51% da população brasileira está com excesso de peso; e 17%, obesa. “Vale lembrar que a pesquisa é feita por telefone e as pessoas costumam subestimar seu peso, o que significa que este número deve ser muito mais alto do que o levantamento aponta”, salienta a diretora da Abeso, Maria Edna de Melo.

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados