Washington - Os principais assessores do presidente norte-americano, Barack Obama, consideraram substituir o vice-presidente do país, Joe Biden, por Hillary Clinton na campanha de reeleição de Obama em 2012, mas decidiram que a mudança não ajudaria significativamente, afirmou o jornal The New York Times nesta quinta-feira, citando um novo livro sobre a campanha.

A especulação surgiu muitas vezes, mas autoridades sempre negaram que a equipe de Obama estivesse pensando em substituir Biden pela então secretária de Estado, Hillary Clinton.

Segundo citação feito pelo jornal do livro "Double Down", dos jornalistas Mark Halperin e John Heilemann, os principais assessores de Obama secretamente tiveram extensas reuniões e realizaram votações para considerar tal manobra.

Eles finalmente decidiram que escolher Hillary não iria melhorar substancialmente as probabilidades de Obama, segundo o relato.

O chefe de gabinete da Casa Branca na época, William Daley, disse ao jornal: "Fui a favor de considerar um monte de coisas, e essa foi uma delas." "Você tem que se lembrar, naquele momento o presidente estava em péssima forma, então nós ficamos tipo, 'Santo Cristo, o que vamos fazer?'", disse Daley.

Com Biden na chapa, Obama decisivamente derrotou o republicano Mitt Romney na eleição de novembro de 2012.

Tópicos: Barack Obama, Personalidades, Políticos, Eleições americanas, Estados Unidos, Países ricos, Hillary Clinton