Beirute - O aeroporto de Rmelan, no nordeste da Síria, está sendo ampliado para que possar ser usados por aviões dos Estados Unidos na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI), revelou nesta terça-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG apontou que nas últimas semanas houve trabalhos de ampliação da pista deste aeroporto, onde já decolam e aterrissam helicópteros americanos.

A instalação aeroportuária fica em Al Jazeera, uma das regiões da administração interina curdo-síria que ocupa parte da província nordeste de Al Hasaka, e está no ponto onde confluem Síria, Iraque e Turquia.

No aeroporto, há atualmente uma base da administração autônoma curdo-síria e existem planos para que ali se instale o quartel de vários assessores americanos que chegaram ao território sírio há semanas, indicou o Observatório.

Em declarações telefônicas à Agência Efe, os dois porta-vozes das Forças da Síria Democrática (FSD), Lewand Royava e Talal Salu, asseguraram não saber de nada sobre a ampliação do aeroporto de Rmelan ou da chegada de assessores militares americanos.

As FSD, uma coalizão armada curdo-árabe, é a principal força que atua em Al Jazeera e recebe o apoio dos Estados Unidos.

Os aviões da coalizão internacional, liderada por Washington, costumam respaldar desde o ar com bombardeios as ofensivas terrestres das FSD.

O porta-voz do Departamento de Defesa da "Al Jazeera " (em Ao Hasaka), Nasser Hajj Mansur, negou taxativamente à Efe que esteja ocorrendo a ampliação do aeroporto de Rmelan ou que vá ser usado por aviões americanos.

Além disso, desmentiu que haja assessores militares dos EUA no solo sírio.

Por outro lado, o Observatório, que citou ativistas, acrescentou que nos últimos dias houve movimento de oficiais e engenheiros russos no aeroporto de Qameshli, também em Al Hasaka, para avaliar se é possível estendê-lo para seu uso por aviões da Rússia.

A Rússia, aliada do regime de Damasco, iniciou no final de setembro uma campanha de ataques aéreos na Síria contra o EI e outras organizações terroristas, segundo anunciou Moscou.

Os aviões russos partem para lançar seus bombardeios na Síria desde o aeroporto de Hamimim, na província noroeste de Latakia, um dos principais redutos litorâneos do regime do presidente Bashar al Assad.

Tópicos: Aeroportos, Setor de transporte, Transportes, Estados Unidos, Países ricos, Síria