Nos Alpes, as crianças não esperam o Papai Noel

Em Mont Blanc, uma das montanhas mais altas da Europa, as crianças não esperam o bom velhinho

Courmayeur – Ele tem uma grande barba branca, se veste de vermelho, leva presentes às crianças e é símbolo do Natal. Se você pensou no Papai Noel está enganado. Parece absurdo, mas em Mont Blanc, uma das montanhas mais altas da Europa, as crianças não esperam o bom velhinho e sim Rhémy de Noël. Todos os anos milhares de cartas lotam sua caixa de correio, posicionada estrategicamente no centro da cidade de Courmayeur, na Itália. E ele responde a todas.

Todo dia 24 de dezembro, Rhémy faz sua entrada triunfal na cidade, presenteando as crianças e seus familiares com lembrancinhas. Completando sua indumentária, pesadas botas para conseguir caminhar na neve, uma picareta, mochila e uma corda enrolada em seu ombro. Para encontra-lo, basta ir à praça Abbé Henry, onde há uma gigantesca árvore decorada com 20 mil luzinhas. Como parte da tradição, Rhémy acende com ajuda das crianças um grande lampião, símbolo do Natal local. A festa prossegue com o baile dos Badochys, grupo folclórico de Courmayeur. Música e comidinhas a base de chocolate completam o quadro. O segredo da festa está na simplicidade, que faz alusão a um Natal autêntico, baseado na divisão entre todos. E é justamente esta a mensagem que o Papai Noel dos Alpes quer passar.

De acordo com a lenda, o generoso limpador de chaminés Rhémy se aventurou nas montanhas para tentar entender por que não nevava em sua cidade. Foi então que ele encontrou a neve em poder de um gigante, que lhe fez uma proposta: a liberação em troca da companhia de Rhémy. Desde então, o limpador volta ao vale uma vez por ano, na véspera do Natal, para entregar presentes às crianças que acendam um lampião para indicar o caminho para Courmayeur.