Naufrágios deixam 245 refugiados desaparecidos no Mediterrâneo

Segundo a Acnur, ao menos 163 pessoas desapareceram no domingo após um naufrágio em águas da Líbia

Genebra – A Agência da ONU para os Refugiados (Acnur) informou nesta segunda-feira que 245 refugiados e imigrantes sem documentos estão desaparecidos após dois naufrágios ocorridos na rota central do Mediterrâneo, que une a Líbia e a Itália.

Segundo a Acnur, ao menos 163 pessoas desapareceram no domingo após um naufrágio em águas da Líbia.

A Guarda Costeira do país conseguiu resgatar sete pessoas – seis homens e uma mulher – depois do acidente com a embarcação na qual elas viajavam.

Na última sexta-feira, outra tragédia foi registrada em águas internacionais do Mar Mediterrâneo. Uma lancha pneumática que ia em direção à Itália naufragou com 132 pessoas a bordo.

A Guarda Costeira da Itália conseguiu resgatar 50 imigrantes e os levou até o porto de Pozzallo, na província de Ragusa. Outras 82 pessoas seguem desaparecidas após o acidente.

Neste ano, mais de 44.200 refugiados chegaram à Europa pelo mar, segundo os últimos dados da Organização Internacional para Migrações (OIM).

A rota do Mediterrâneo Central é a mais usada e a mais mortífera. Apenas nela, foram registradas 1.009 mortes nesse ano, segundo o órgão.