Muçulmanos da Itália assinam pacto com governo contra extremismo

Segundo ministro, acordo foi assinado "por associações que representam pelo menos 70% do Islã italiano"

Representantes dos muçulmanos da Itália e o ministro do Interior, Marco Minniti, assinaram nesta quarta-feira (1º) um pacto pelo qual se comprometem “a repudiar qualquer forma de violência e terrorismo” e a fazer parte das orações nas mesquitas em italiano.

“É um documento muito importante que diz respeito ao presente e ao futuro do nosso país, por meio do diálogo inter-religioso, partindo de um fundamento elementar: podemos ter religiões diferentes (…), mas todos somos italianos”, ressaltou o ministro Minniti.

“Um dos pontos essenciais é que todos os signatários se comprometem a repudiar qualquer forma de violência e terrorismo”, declarou Minniti, estimando que o acordo permitirá “desenvolver e construir caminhos de integração”.

Além disso, os muçulmanos que assinaram o documento se comprometem com que as orações feitas às sextas-feiras em todas as mesquitas no país sejam em italiano, ou pelo menos traduzida para o idioma.

O acordo foi assinado “por associações que representam pelo menos 70% do Islã italiano”, declarou o ministro após a cerimônia.