Miliciano britânico morre em combates contra EI na Síria

Combatente morreu no norte da província de Al Raqqa, cuja capital homônima é considerada o principal bastião do grupo jihadista

Cairo – Um britânico que lutava com a aliança armada Forças da Síria Democrática (FSD) morreu em combates contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na Síria, informou nesta terça-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

De acordo com o OSDH, o combatente britânico morreu no norte da província de Al Raqqa, cuja capital homônima é considerada o principal bastião do grupo jihadista.

O miliciano lutava nas FSD, milícias formadas por grupos curdos, árabes e de outras minorias sírias, que têm o apoio dos Estados Unidos, e foi identificado como Ryan Lock por grupos de ativistas curdos, que relataram que ele morreu em combates com o EI em 21 de dezembro.

Segundo o OSDH, um combatente americano e outro alemão também morreram em dezembro, no nordeste da província de Aleppo, que lutavam com a milícia Conselho Militar de Manbij, que faz parte das FSD, em enfrentamentos contra as forças que participam da operação batizada como “Escudo do Eufrates”.

Essa operação, liderada pela Turquia, foi lançada em agosto com o objetivo de combater o EI no norte da Síria, perto da fronteira turca, e também com o propósito de evitar o avanço das FSD.