Milhares protestam em Cabul contra eleições fraudulentas

Milhares de simpatizantes do candidato presidencial afegão Abdullah Abdullah se manifestaram contra o que consideram eleições fraudulentas

Cabul – Milhares de simpatizantes do candidato presidencial afegão Abdullah Abdullah se manifestaram nesta sexta-feira em Cabul contra o que consideram eleições fraudulentas nas quais o outro aspirante, Ashraf Gani, foi beneficiado.

Abdullah, que enfrentou Gani no segundo turno do pleito presidencial afegão no último dia 14, liderou a manifestação pelas principais ruas da capital escoltado por alguns de seus mais destacados aliados, segundo a agência “Pajhwok” e o canal “Tolo TV”.

“Morte aos trapaceiros. Ganhamos e não queremos que os borregos participem”, gritavam alguns dos seguidores de Abdullah, ex-líder da resistência contra os talibãs e vencedor do primeiro turno realizado em 5 de abril, com 45% dos votos, contra 31% que obteve Gani.

Um dos principais apoios de Abdullah, o ex-chefe dos serviços de inteligência afegãos Amarula Saleh, insistiu sobre o envolvimento do presidente em fim de mandato, Hamid Karzai, na fraude eleitoral.

Em 2009 e após denunciar também irregularidades maciças, Abdullah retirou sua candidatura para o segundo turno das anteriores eleições presidenciais, que Karzai ganhou.

Os protestos atuais ocorreram um dia depois que a equipe de Abdullah divulgasse uma gravação na qual o governador da província de Maidan Wardak, Ataula Khogyani, pedia a um comando militar que não impedisse que fossem depositados nas urnas votos ilegais.

Outra das provas publicadas mostrava um homem enchendo uma urna eleitoral na província oriental de Paktika, de acordo com “Tolo TV”.

A primeira revelação de supostas provas de fraude no pleito provocou na segunda-feira a renúncia do secretário da Comissão Eleitoral Independente (IEC, em inglês) do Afeganistão, Zalilul Haq Amarkhail, algo que tinha solicitado Abdullah em repetidas ocasiões.

Na filme do áudio era possível escutar o secretário em uma conversa telefônica com membros da equipe de Gani na qual falavam de fraude durante o segundo turno, embora não foi provada a autenticidade da gravação.