Migrantes são barrados na fronteira da Eslovênia com Croácia

Cerca de 1.800 refugiados que chegaram ontem à fronteira da Eslovênia, enviados pelas autoridades croatas, foram recebidos com cercas, policiais e cachorros

Zagreb – O número de refugiados que se aglomeram na rota dos Bálcãs após o fechamento da fronteira da Hungria com a Croácia no sábado está aumentando, o que provocou uma escalada na tensão na região.

Cerca de 1.800 refugiados que chegaram ontem à noite à fronteira da Eslovênia, enviados pelas autoridades croatas, foram recebidos com cercas, policiais e cachorros, e tiveram que passar a noite debaixo de chuva e com frio, informou nesta segunda-feira a televisão pública croata “HTV”.

A Eslovênia admite um número diário de aspirantes a asilo na Europa ocidental menor do que a Croácia. Em média seis mil refugiados saem da Croácia diariamente, mas a Eslovênia advertiu que não pode receber mais de 2.500 por dia, e isso só se a Áustria absorver o mesmo número de pessoas diariamente.

O secretário de Estado do Ministério do Interior da Eslovênia, Bostjan Stefic, advertiu ontem à noite que seu país não receberá mais refugiados do que o mesmo número que sai rumo a Áustria, atualmente de 1.500 pessoas, o que não foi confirmado pelas autoridades austríacas.

Stefic informou que ontem chegaram 2.400 pessoas, e lamentou que a Croácia não tenha levado a sério a advertência eslovena e enviasse à fronteira um trem com 1.800 refugiados.

Estes esperam desde ontem para entrar na Eslovênia pela passagem fronteiriça de Trnovec-Sredisce ob Dravi, no noroeste da Croácia.

Segundo a agência de notícias eslovena “STA”, a ministra austríaca do Interior, Johanna Mikl-Leitner, informou à ministra eslovena, Vesna Györkös Znidar, que a Áustria não pode receber mais refugiados.

Mas o Ministério do Interior da Áustria afirmou que nada mudou nas passagens fronteiriças com a Eslovênia.

A polícia eslovena iniciou nesta madrugada uma “proteção intensa” de sua fronteira com a Croácia, anunciou Bojan Kitel, porta-voz da polícia de Maribor.