México qualifica reunião com Trump de “produtiva”

O presidente do país, Enrique Peña Nieto, se reuniu hoje com o chefe de Estado americano Donald Trump no G20

Hamburgo – O ministro das Relações Exteriores do México, Luis Videgaray, garantiu nesta sexta-feira que a reunião do presidente do país, Enrique Peña Nieto, com o chefe de Estado americano Donald Trump foi “muito boa” e “produtiva”, e acrescentou que o tema do muro fronteiriço entre os dois países não foi abordado.

Em declarações em Hamburgo após o término da primeira reunião bilateral entre Trump e Peña Nieto, Videgaray, que esteve presente no encontro, reconheceu que não ouviu o presidente americano responder quando um jornalista lhe perguntou se continuava pensando que o México deveria pagar pelo muro que ele quer construir na fronteira.

“Totalmente”, foi a resposta de Trump, segundo o relato do grupo de jornalistas que acompanha o governante americano.

“O relevante para o México é que (o muro) não foi tema da conversa, conforme tínhamos combinado e assim foi”, comentou o titular de Relações Exteriores mexicano para reforçar que a posição de seu país não mudou. “Este não é um tema da relação bilateral, não é parte das conversas entre os dois países e não foi parte da reunião entre os presidentes”, concluiu o chanceler.

Entre os temas discutidos na reunião, Videgaray destacou o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, sigla em inglês) assinado entre México, EUA e Canadá e que Trump ameaçou romper.

O ministro mexicano explicou que o acordo é negociar para conseguir uma modernização do tratado, e indicou que o México acredita que “há espaço para conseguir um acordo melhor para as três partes”.

Segundo Videgaray, os dois presidentes também discutiram a situação dos trabalhadores agrícolas temporários mexicanos nos Estados Unidos e ambos concordaram em explorar novos instrumentos que favoreçam uma imigração que seja legal e transparente.

Além disso, o governo mexicano afirmou em um comunicado que foram analisados o problema das redes do crime organizado transnacional e a necessidade de abordar este fenômeno do princípio da responsabilidade “compartilhada e através de uma estratégia integral em ambos os lados da fronteira”.

Como estava previsto, Videgaray acrescentou que esta não foi uma reunião de grandes acordos, mas sim um encontro para continuar trabalhando lado a lado em assuntos de interesse mútuo.

Veja também