Malala se recupera de forma “extraordinária”

A jovem paquistanesa sobreviveu a uma tentativa de assassinato de talibãs por defender o direito à educação às meninas de seu país

Londres – A jovem paquistanesa Malala Yousufzai, que sobreviveu a uma tentativa de assassinato dos talibãs, se recupera de maneira extraordinária, indicaram seus médicos britânicos ao detalhar as duas operações reconstrutivas as quais será submetida nos próximos 10 dias.

“Sua recuperação é extraordinária e é um testemunho de sua força e desejo de melhorar”, declarou em uma coletiva de imprensa David Rosser, diretor-médico do Hospital Queen Elizabeth de Birmingham, onde continua seu tratamento como paciente externa depois de ter recebido alta no início do mês.

Malala Yousufzai, de 15 anos, foi baleada na cabeça em um ataque cometido no dia 9 de outubro contra o ônibus escolar no qual viajava no vale do Swat (noroeste do Paquistão) por um grupo talibã que buscava castigá-la por sua luta a favor da educação de meninas paquistanesas.

A bala, disparada à queima-roupa, provocou um buraco no lado esquerdo do crânio, enquanto a onda expansiva destruiu seu tímpano.

O doutor Rosser afirmou que a primeira operação consistirá em implantar uma prótese de titânio feita sob medida no crânio e a segunda em colocar um dispositivo no ouvido interno.

Ambas as intervenções irão durar menos de 90 minutos cada uma e são normalmente realizadas neste hospital público, que possui uma unidade especializada na qual trata os soldados britânicos gravemente feridos no Afeganistão.

O doutor Rosser afirmou que Malala pode levar “entre 15 e 18 meses” para recuperar um pouco da audição, mas acrescentou que, com o tempo, deve ter níveis quase normais de audição graças à operação.

Malala está sendo tratada no Hospital Queen Elizabeth de Birmingham (centro da Inglaterra) desde sua chegada ao Reino Unido, no dia 15 de outubro, em um avião ambulância procedente de Islamabad, depois de ter recebido os primeiros-socorros no Paquistão.