Maduro ordena intervenção militar nos mercados municipais

Maduro explicou que usou o poder que lhe é dado pelo decreto de emergência econômica assinado em janeiro

Caracas – O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou nesta sexta-feira uma intervenção militar nos mercados municipais do país e designou o ministro da Defesa, Vladimir Padriño López, como autoridade responsável pela “tomada integral” desses locais.

“Autorizei o chefe da Grande Missão Abastecimento Soberano (Padriño López) a fazer a tomada integral (…) e a realizar o saneamento absoluto de todos esses antros”, disse o presidente venezuelano durante uma reunião com ministros que foi transmitida em cadeia nacional de rádio e televisão.

Maduro explicou que usou o poder que lhe é dado pelo decreto de emergência econômica, assinado em janeiro, para designar o ministro da Defesa como autoridade responsável pelos mercados municipais do país.

“Decidi escolher um interventor para estes mercados que têm caráter municipal, mas que foram abandonados pelos municípios nas mãos das máfias (…) que implementaram novos sistemas especulativos e colocaram preços absolutamente fora da realidade em produtos essenciais”, argumentou Maduro.

O presidente venezuelano disse ter tomado a decisão depois que uma investigação ordenada por ele nos principais mercados municipais do país descobriu “máfias, tráfico humano, prostituição, tráfico de drogas e, o pior de tudo, a negação ao acesso livre e justo aos produtos que nosso povo necessita”.

“É quase uma OLP o que teremos que fazer, porque é preciso libertar os produtores primários”, disse Maduro, referindo-se às chamadas Operações de Libertação do Povo, implementadas em seu governo no ano passado.

As OLP consistem em inquéritos com buscas em moradias e áreas residenciais, além de inspeções e prisões realizadas enquanto militares e policiais ocupam áreas escolhidas pelas autoridades.

A “Grande Missão Abastecimento Soberano e Seguro” foi criada no último dia 11 de julho por Nicolás Maduro e é um programa coordenado pelo ministro da Defesa da Venezuela com intenção de reduzir os efeitos da crise de escassez de alimentos e produtos básicos que assola o país.

Maduro afirmou que a missão construirá um novo sistema para a distribuição de produtos, porque, segundo ele, o atual mecanismo está sendo sabotado pela iniciativa privada através de homens infiltrados.

Segundo o presidente venezuelano, o programa permitiria também uma “produção eficiente e sustentável”, criar “novos processos para o comércio” e “sistemas de custos, rendimento e preços”.