Maduro espera que EUA anule ordem executiva contra Venezuela

Washington adotou sanções contra funcionários da Venezuela acusados de violações dos direitos humanos durante os protestos há um ano contra Maduro

Caracas – O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, disse nesta quinta-feira que espera do presidente americano, Barack Obama, a anulação da ordem executiva que qualifica a situação na Venezuela como “uma ameaça extraordinária e incomum à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos“.

“Espero que Obama retifique e derogue a ordem executiva contra nosso país”, assinalou Maduro na inauguração da Feira Internacional do Livro da Venezuela.

O presidente venezuelano pediu a Maximilien Sánchez Arveláiz, encarregado de negócios da Venezuela na capital americana, que organize uma “Expo Washington”, similar à “Expo Venezuela de Verdade” inaugurada em Madri neste mês de março, para “demonstrar que a ameaça não está na Venezuela”.

“Tenho a esperança de que um raio de luz chegue a Obama e que o converta, outra vez, naquele jovem de Chicago. Obama precisa andar por Detroit, Chicago, voltar às ruas porque os lobbies de Washington o amordaçaram, amarraram e sequestraram”.

Na segunda-feira, Washington adotou sanções contra sete funcionários da Venezuela acusados pela Casa Branca de violações dos direitos humanos durante os protestos há um ano contra Maduro, que deixaram 43 mortos.

Maduro reagiu pedindo poderes especiais ao Congresso na área de segurança para enfrentar “a ameaça dos Estados Unidos”, e convocou a população para realizar exercícios militares de defesa.