Líder indiano anticorrupção deixa prisão e inicia greve de fome

Anna Hazare exige que o Estado tenha rigor em um projeto de lei para combater a corrupção na Índia

Nova Délhi – O militante anticorrupção indiano Anna Hazare deixou a prisão nesta sexta-feira e iniciou uma greve de fome de 15 dias, diante dos aplausos de milhares de simpatizantes.

“Devemos trazer uma mudança total ao país”, afirmou o ativista de 74 anos, à multidão reunida em uma esplanada do centro da capital Nova Délhi, onde permanecerá durante o período de sua greve de fome contra a a corrupção.

Hazare, cuja detenção na terça-feira provocou uma onda de manifestações sem precedentes, exige do Estado mais rigor em um projeto de lei de combate à corrupção.

Depois de ter anunciado a intenção de “jejuar até a morte”, ele foi detido e após muitas pressões conseguiu a autorização para a greve de fome.

Hazare foi ovacionado ao deixar a prisão de Tihar.

“Irmãos e irmãs, queridos filhos, em 1947 conquistamos a liberdade, mas não conquistamos ainda nossa própria liberdade”, declarou, em uma referência ao ano em que a Índia obteve a independência do Império Britânico.

As autoridades prenderam Hazare para impedir o início de uma greve de fome por tempo ilimitado, mas na prisão ele negociou um compromisso de jejuar por 15 dias em uma área de Nova Délhi com capacidade para receber 250.000 pessoas.