Kremlin nega que Putin tenha tido um filho

Alguns veículos internacionais afirmam que uma ex-deputada e antiga campeã olímpica russa teria sido internada para dar à luz a um filho do presidente russo

Moscou – O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, negou categoricamente nesta sexta-feira que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, tenha tido um filho, como afirmaram alguns veículos de comunicação europeus.

“A informação sobre o nascimento de um filho de Vladimir Putin não corresponde à realidade”, afirmou Dmitri Peskov à edição russa da revista “Forbes”.

Peskov, que nos últimos meses driblou diferentes rumores relacionados ao líder russo, brincou que devia ser organizado “um concurso sobre o melhor disparate jornalístico”.

Alguns veículos internacionais afirmaram que a russa Alina Kabaeva, ex-deputada e antiga campeã olímpica de ginástica, teria sido internada em uma clínica suíça para dar à luz a um filho concebido com o chefe do Kremlin.

Alina, de 31 anos, que há alguns meses dirige o Grupo Nacional de Meios, o maior império de comunicação privado da Rússia, tem sido associada a Putin, de 62, mas ambos negaram qualquer envolvimento.

Os rumores aumentaram desde que ele anunciou em julho de 2013 sua separação após 30 anos de casamento de Lyudmila Putina, com quem tem duas filhas.

O presidente reapareceu hoje na TV russa após mais uma semana de ausência, o que disparou rumores sobre seu estado de saúde. Putin não era visto em público desde o dia 5, quando deu uma entrevista coletiva em Moscou com o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi.

“O presidente se encontra bem”, respondeu Peskov, que negou dessa forma as informações da imprensa internacional, que citou, inclusive, fontes oficiais cazaques, sobre a possibilidade do chefe do Kremlin estar doente.

Nos últimos meses, Peskov teve que explicar em diversas ocasiões os rumores sobre os supostos problemas de saúde do líder russo. Ele foi apontado com câncer, problemas de coluna, no pâncreas e até com uma doença por conta de sua decisão de anexar Crimeia e intervir na vizinha Ucrânia.

O Kremlin reconhece apenas que Putin tenha várias lesões esportivas, declarações que levaram à imprensa russa a afirmar que a saúde do presidente tinha deixado de ser segredo de Estado.

Sobre isso, Putin acusou à oposição de “pôr em dúvida a legitimidade e a capacidade de trabalho das autoridades” ao propagar esses rumores.