Justiça mantém mandado de prisão de ex-presidente do Peru

Juiz rejeitou o recurso apresentado por Alejandro Toledo, acusado de receber US$ 20 milhões em propina da Odebrecht

Lima – O juiz peruano Richard Concepción rejeitou na quinta-feira o recurso apresentado pelo advogado do ex-presidente do Peru, Alejandro Toledo, para revogar o mandado de prisão emitido contra ele por supostamente ter recebido US$ 20 milhões em propinas da construtora Odebrecht.

Concepción, titular da primeira sala de investigação do Tribunal Penal Nacional, declarou inadmissível a apelação argumentando que o recurso não cumpriu com a documentação jurídica correspondente.

A apelação apresentada pelo advogado de Toledo, Heriberto Benítez, buscava que o juiz retirasse o mandado de prisão emitido na semana passada, onde pedia a prisão provisória do ex-presidente por 18 meses, enquanto a procuradoria continua sua investigação.

Benítez disse à emissora “Rádio Programas del Perú” (RPP) que apresentou uma queixa para que um tribunal superior se pronuncie sobre a decisão ratificada pelo juiz Concepción.

O advogado afirmou que o juiz “viola a constituição e atropela os direitos fundamentais” impedindo que seu cliente se defenda das acusações em liberdade.

“Deixou de ser juiz e virou um carrasco. Acredito que querem linchar Toledo e colocá-lo na prisão sem escutá-lo, e sem respeitar seu direito à defesa”, concluiu.

Toledo, sobre quem atualmente pesa um mandado de prisão internacional, segue em paradeiro desconhecido, embora exista a desconfiança de que esteja nos Estados Unidos, onde reside.