Justiça chilena apura abusos sexuais em colégios de Santiago

Jornal "La Segunda" informou que mais de 200 denúncias de abusos sexuais em 127 colégios da capital chilena são investigadas

Santiago do Chile – O promotor nacional do Chile, Sabas Chahuán, confirmou nesta quinta-feira que a Justiça está investigando mais de 120 estabelecimentos educacionais de Santiago por denúncias de abusos sexuais.

Chahuán fez essas declarações horas depois de o diário chileno “La Segunda” ter informado que a Justiça investiga mais de 200 denúncias de supostos abusos sexuais em 127 colégios de Santiago, a maioria localizada na zona leste da capital, a mais abastada.

O último caso registrado nesta cidade de 6,4 milhões de habitantes corresponde ao sacerdote de origem irlandesa John O”Reilly, que na quarta-feira foi suspenso de suas atividades em um colégio do qual é assessor espiritual depois que a família de uma aluna o denunciou por supostos abusos sexuais.

Horas após ter conhecimento desta notícia, o arcebispo de Santiago e presidente da Conferência Episcopal do Chile, Ricardo Ezzati, pediu a abertura de uma investigação canônica pelas denúncias contra O”Reilly.

Diante desta situação, o Governo de Sebastián Piñera aprovou a aplicação de dez medidas para reforçar a prevenção e o combate aos abusos sexuais contra menores.