Japonês é reconhecido como homem mais velho do mundo

O japonês Sakari Momoi, de 111 anos, foi reconhecido como o homem mais velho do mundo pelo Guinness

Tóquio - O japonês Sakari Momoi, aos 111 anos de idade, foi reconhecido nesta quarta-feira em Tóquio como o homem vivo mais velho do mundo pela organização Guinness World Records.</p>

Momoi passou a ser cotado para este reconhecimento ainda em junho, após a morte de Alexander Imich, um polonês radicado em Nova York que lhe superava em idade apenas por um dia, informou a organização em comunicado.

O idoso japonês recebeu um certificado de seu recorde durante um ato organizado hoje no abrigo para idosos de Tóquio, onde se encontra atualmente.

A cerimonia em questão contou com a participação de familiares, amigos, autoridades locais e jornalistas.

“Eu gostaria de viver mais dois anos”, declarou Momoi após receber o documento que garante a validade de sua façanha.

Momoi nasceu no dia 5 de fevereiro de 1903 na cidade de Minamisoma, em Fukushima (centro do Japão), se encontra “em bom estado de saúde” e é capaz de comer três vezes ao dia, disse à agência “Kyodo” um porta-voz da Prefeitura de Saitama, onde o homem mais velho do mundo vive.

De acordo com o comunicado de Guinness World Records, Momoi levou “uma vida tranquila”, trabalhou como professor de química agrícola, foi diretor de um centro educativo de Saitama e se dedicou a atividades como a leitura, em especial poesia chinesa.

Segundo a fonte, viajar é outra de suas grandes paixões e, apesar de sua idade não permitir muitos esforços, chegou a percorrer todo o Japão ao lado de sua falecida esposa.

A pessoa mais velha do mundo também é do Japão.

Misao Okawa, que nasceu no dia 5 de março de 1898, possui 116 anos de idade.

O Japão, assim como o principado de Mônaco, é o país com maior expectativa de vida do mundo, superando os 80 anos em ambos os gêneros.