Irã diz que mísseis do país atingiram alvos do EI na Síria

O comandante da força aeroespacial explicou que os ataques tinham como objetivo atingir um "pequeno edifício" onde estavam reunidos líderes do EI

A Guarda Revolucionária do Irã, tropa de elite do Exército do regime, afirmou nesta segunda-feira que os mísseis lançados a partir do território iraniano destruíram posições do grupo Estado Islâmico (EI) na Síria.

“Esta operação foi um sucesso e os mísseis destruíram bases de comando e de armamento do Daesh (acrônimo árabe do EI) em Deir Ezzor”, leste da Síria, afirmou o general Ramezan Sharif, porta-voz dos Guarda Revolucionária.

“Os mísseis atravessaram o céu iraquiano e atingiram seus alvos na Síria”, disse o general Amir Ali Hadjizadeh, comandante da força aeroespacial da Guarda Revolucionária.

“Ao mesmo tempo, drones que haviam decolado de Damasco sobrevoaram a região de Deir Ezzor e transmitiram (imagens) dos ataques”, completou.

O comandante da força aeroespacial explicou que os ataques tinham como objetivo um “pequeno edifício” onde estavam reunidos líderes do EI.

“Atacar um pequeno edifício de uma distância de entre 600 e 700 quilômetros mostra as capacidades do Irã”, disse.

O Irã disparou seis mísseis de médio alcance no domingo a partir das províncias iranianas de Kermanshah e do Curdistão (oeste) contra bases do EI, uma medida de represália aos atentados perpetrados de 7 de junho contra o Parlamento e o mausoléu do aiatolá Khomeini, que deixaram 17 mortos e foram reivindicados pelo grupo extremista.

Estes foram os primeiros lançamentos de mísseis iranianos contra um território estrangeiro em 30 anos.

De acordo com a agência Tasnim, alguns mísseis eram do tipo Zolfaghar, de fabricação iraniana, com alcance de 750 quilômetros.

O Irã apoia os governos da Síria e do Iraque com assessores militares e voluntários para lutar contra os grupos rebeldes e jihadistas.