Internautas acusam funcionário chinês de corrupção

O caso ilustra mais uma vez a influência crescente dos "cibercidadãos" na China

Pequim – A China abriu uma investigação contra um funcionário do governo, que supostamente possui 21 bens imobiliários, depois que fotografias de suas luxuosas residências foram divulgadas na internet.

O caso ilustra mais uma vez a influência crescente dos “cibercidadãos” na China, que utilizam a rede para mobilizar a opinião pública contra o que consideram atos de corrupção ou abuso de poder, em um país no qual o Partido Comunista controla os tribunais.

Cai Bin, executivo do serviço de gestão urbana da metrópole de Cantão (sul da China), é suspeito de não ter declarado o patrimônio, que seria composto por 21 imóveis que têm valor acumulado de 40 milhões de yuanes (5 milhões de euros).