Inspetor de Justiça investigará FBI por ações pré-eleitorais

Membros do Congresso dos EUA mostraram sua preocupação pelas alegações vertidas pelo FBI a poucos dias das eleições

Washington – O inspetor-geral do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, Michael Horowitz, anunciou nesta quinta-feira que abrirá uma investigação sobre o Departamento de Justiça e o FBI e sua atuação antes das eleições presidenciais do último dia 8 novembro.

Membros do Congresso dos EUA mostraram sua preocupação pelas alegações vertidas pelo FBI a poucos dias das eleições, que semearam novas dúvidas sobre o manejo de Hillary Clinton, então candidata democrata à Casa Branca, de seu e-mail quando dirigia a diplomacia americana.

Segundo a nota emitida pelo escritório de Horowitz, dedicado a avaliar os processos internos dentro da Justiça americana, serão abertas várias linhas de investigação sobre o ocorrido.

Em primeiro lugar, o inspetor-geral examinará se as políticas e procedimentos do FBI foram ou não coerentes entre si, depois que, no dia 5 de julho do ano passado, seu diretor, James Comey, disse publicamente que, segundo as investigações de sua agência, não deveriam ser apresentadas acusações contra Hillary.

No entanto, em 28 de outubro, a apenas dez dias das eleições presidenciais, Comey tornou pública uma carta enviada aos presidentes de vários comitês do Congresso americano na qual sugeria que tinha encontrado novas provas que poderiam pôr a atuação da candidata democrata em dúvida.

Dessa maneira, o escritório de Horowitz averiguará especialmente de que maneira o FBI pode ter incorrido em má praxis ao publicar dita informação a tão poucos dias dos pleitos, assim como o mero fato de tê-la revelado.

Esse anúncio acontece após duras críticas sobre como aconteceu a investigação das supostas novas provas, especialmente no relativo à publicação das mesmas, provocando um grande escândalo na reta final da corrida presidencial.

Em dezembro do ano passado, Hillary afirmou que a carta de Comey, que reabriu a polêmica de seus e-mails, foi um dos fatores que modificou o voto dos eleitores em estados-chave, como os do Meio Oeste, Flórida e Carolina do Norte.

“Acredito que isso fez diferença no resultado”, declarou a ex-candidata presidencial em um gravação de seus comentários feitos em um ato privado de arrecadação de fundos em Nova York, obtida pelo jornal “The New York Times”.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s