Índia testa com sucesso mísseis terra-ar de longo alcance

Ambos caíram "diretamente" no aparelho não-tripulado designado como alvo, "com diferentes campos e altitudes", segundo a nota

Nova Délhi - A <a href="http://www.exame.com.br/topicos/india"><strong>Índia </strong></a>realizou com sucesso dois testes consecutivos de um míssil terra-ar de longo alcance desenvolvido conjuntamente com Israel, em um momento de crescente crise diplomática com seu vizinho <a href="http://www.exame.com.br/topicos/paquistao"><strong>Paquistão</strong></a>, com o qual mantém uma corrida <a href="http://www.exame.com.br/topicos/armas"><strong>armamentista</strong></a>, informaram nesta quarta-feira fontes oficiais.</p>

O primeiro projétil foi disparado ontem por volta das 10h10 local (1h40, em Brasília) desde uma embarcação da Marinha indiana no estado de Odisha, na costa leste do gigante asiático, e o segundo foi lançado desde terra cerca de 4 horas depois, informou o Ministério da Defesa em comunicado.

Ambos caíram “diretamente” no aparelho não-tripulado designado como alvo, “com diferentes campos e altitudes”, segundo a nota.

Os exemplares testados, uma versão do míssil especial para a Marinha, foram desenvolvidos pela governamental Organização para a Pesquisa e Desenvolvimento em Defesa (DRDO, em inglês) em colaboração com a empresa pública Indústrias Aeronáuticas Israelenses (IAI).

Em junho, a Índia testou três vezes em 24 horas um míssil terra-ar de médio alcance também desenvolvido com a IAI.

Os novos lançamentos ocorrem no meio de uma piora das relações entre a Índia e Paquistão, depois que o ministro indiano de Interior, Rajnath Singh, culpou seu vizinho pelo ataque a uma base militar que no domingo causou a morte a 18 soldados indianos.

O gigante asiático mantém uma corrida armamentista com o Paquistão, que também possui armas nucleares e é seu principal rival no subcontinente indiano, embora o comando militar indiano não perca de vista a China.

A Índia, o maior importador de armas do mundo, está em pleno processo de modernização de suas Forças Armadas, que o governo tenta abordar promovendo a construção de material de defesa em seu território.