Hollande faz séria advertência a Rússia e China sobre Síria

Hollande advertiu ''os russos e os chineses'' que se resistirem a aprovar sanções contra Damasco haverá caos e guerra

Paris – O presidente francês, François Hollande, fez nesta sexta-feira uma séria advertência a Rússia e China pela atitude destes países em relação à situação na Síria e disse que se ela persistir se voltará contra seus próprios interesses.

Depois do massacre da quinta-feira na cidade síria de Tremseh na qual morreram cerca de 200 pessoas, Hollande advertiu ”os russos e os chineses” que se resistirem a aprovar sanções contra Damasco haverá caos e guerra, contra os interesses de Moscou e Pequim.

Hollande declarou no canal de televisão ”BFMTV”: ”Digo aos russos, aos chineses, não fazendo nada para que possamos avançar mais diretamente rumo a sanções mais duras, será o caos e a guerra que se instalarão na Síria em detrimento de seus próprios interesses”.

E o chefe de Governo francês disse que, depois do massacre cometido na Síria contra a população civil, os Estados que apoiam que as Nações Unidas aprovem sanções fortes contra Damasco ”não podem mais aguentar”.

Hollande disse que a situação vivida na Síria – onde ”a cada dia há mais mortos, o que quer dizer que há um regime que decidiu utilizar a força para achatar sua própria população” – põe os Estados diante de ”suas próprias responsabilidades”.

Ele reiterou que a França deseja que o regime de Bashar al Assad ”saia e que se instale um Governo de transição”, se mostrando de novo propício a uma resolução da ONU que permita a intervenção militar na Síria, ao que russos e chineses se opõem.