Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Hollande diz esperar por um “ano de vitória contra o terrorismo”

Presidente francês tem visto sua popularidade despencar desde que assumiu o governo, em meio a frustrações econômicas e com a segurança nacional

Bagdá – O presidente francês, François Hollande, visitou o Iraque nesta segunda-feira e disse a soldados franceses no país que espera por “um ano de vitória contra o terrorismo”.

O socialista Hollande, cujo país sofreu uma série de ataques de militantes nos últimos dois anos, disse que os soldados servindo sob uma coalizão liderada pelos Estados Unidos estavam evitando mais assassinatos em massa em casa.

“Tudo que contribua para a reconstrução do Iraque é um passo adicional para evitar ataques do Daesh em nosso território”, disse Hollande, utilizando o acrônimo árabe para o grupo Estado Islâmico.

Hollande tem visto sua popularidade despencar desde que assumiu o governo francês, em meio a frustrações com a forma como lida com a economia e com a segurança nacional. Ele disse que não concorrerá nas eleições presidenciais deste ano.

O presidente francês viajará ainda nesta segunda-feira para a cidade curda de Erbil, onde a França entregará cerca de 38 toneladas de ajuda humanitária, incluindo remédios, disseram autoridades.

O Estado Islâmico atacou um posto de controle da polícia iraquiana perto da cidade de Najaf, no sul do país, no domingo, matando sete policiais, à medida que forças do governo no norte conquistaram território contra militantes em Mosul, o último grande bastião rebelde no país.

A recaptura de Mosul provavelmente seria o fim do declarado “califado” do grupo em áreas tomadas em 2014, mas militantes do Estado Islâmico ainda seriam capazes de realizar uma insurgência no estilo guerrilha no Iraque, além de tramar e inspirar ataques no Ocidente.

Nesta segunda-feira, um carro-bomba deixou ao menos 16 pessoas em Sadr City, um bairro de Bagdá.