Haiti decreta estado de urgência por danos do furacão Sandy

Direção de Defesa Civil, que cifrou em 20 o número de feridos, não descarta que nos próximos dias aumente o número de mortos, dada a magnitude da catástrofe

Porto Príncipe – O governo do Haiti decretou estado de urgência em todo o território do país por causa dos danos causados pelo furacão Sandy, que deixou 54 mortos e 21 desaparecidos no país, segundo os últimos relatórios das autoridades.

Um decreto presidencial, ao qual a Agência Efe teve acesso nesta quarta-feira, declara que em função ”da gravidade da situação resultante da passagem do furacão Sandy sobre o conjunto do país”, procede adotar as disposições necessárias ”para socorrer eficazmente os povoados afetados”.

A declaração do estado de urgência, que tem uma vigência de 30 dias, está prevista por razões humanitárias na Constituição e em outras normas legislativas haitianas e foi adotada pelo presidente do país, Michel Martelly, e pelo primeiro-ministro, Laurent Lamothe, de acordo com todos os ministros.

A Direção de Defesa Civil, que cifrou em 20 o número de feridos, não descarta que nos próximos dias aumente o número de mortos, dada a magnitude da catástrofe.

O Haiti se recupera pouco a pouco dos danos provocados pelo furacão enquanto diminui a quantidade de pessoas que se encontram em abrigos em praticamente todo o país, que lentamente retorna à normalidade.

As regiões mais afetadas foram o oeste e o sul, onde ainda numerosas comunidades permanecem incomunicáveis após a destruição de estradas e pontes, de acordo com as autoridades.

Em sua passagem pelo Caribe na semana passada e sua irrupção nos EUA, Sandy deixou mais de uma centena de mortos e danos no valor de dezenas de bilhões de dólares, antes de perder força e começar a dispersar-se hoje perto dos Grandes Lagos, no centro da América do Norte, segundo o Serviço de Previsão Hidrometeorológica dos EUA.