Grupo jihadista se retrata e aumenta dúvida sobre atentado em Oslo

Membro do grupo Ansar al Jihad al Alami disse em um fórum na internet que era responsável pela explosão na Noruega, mas depois desmentiu

Nova York – A autoria do atentado ocorrido esta sexta-feira na Noruega, inicialmente reivindicado pelo grupo jihadista Ansar al-Jihad al-Aleimi, continua desconhecida, acrescentando confusão a já trágica situação, depois que essa organização islamita se retratou em um fórum na internet.

O grupo emitiu inicialmente um comunicado no qual se responsabilizava por esse ataque terrorista perpetrado na capital norueguesa, onde morreram sete pessoas e pelo menos outras 15 ficaram feridas, segundo informações do jornal “The New York Times”.

“Os jihadistas da Ansar al Jihad al Alami reivindicaram a responsabilidade do ataque segundo um analista do instituto de estudos sobre o terrorismo CNA dos Estados Unidos”, informa o periódico, assinalando que “segundo o comunicado o atentado foi uma resposta à presença norueguesa no Afeganistão”.

Posteriormente esse mesmo analista, Will McCants, que trabalha para a Universidade Johns Hopkins, explicou em seu blog que quem tinha reivindicado o atentado em nome desse grupo “se retratou” no mesmo fórum jihadista árabe em que o havia reivindicado sob o nome de Abu Suleiman.

“Abu Suleiman voltou trás e agora diz que Ansar não tem nada a ver com operação, e que o que ele disse não era uma declaração oficial. Também disse que o que fizeram são provavelmente conhecidos por todos”, declarou McCants em seu blog.

A Noruega sofreu dois ataques nesta sexta-feira, o primeiro a explosão de um carro-bomba na área de Oslo em que fica seu complexo governamental, e depois um tiroteio em um acampamento juvenil próximo à capital norueguesa.

A Polícia norueguesa informou que a explosão em Oslo causou sete mortos e 15 feridos, enquanto no acampamento um homem vestido com uniforme policial matou a tiros entre nove e dez pessoas.

Segundo a imprensa norueguesa, o agressor, detido posteriormente, é um homem de aspecto nórdico que portava um fuzil automático.

A mensagem a que se referia o jornal nova-iorquino mencionaria além disso “insultos não especificados” ao profeta Maomé na Noruega.

O “The New York Times” afirmou que, segundo McCants, os jihadistas de Ansar disseram “ter feito uma advertência após as operações em Estocolmo”, em aparente alusão a um duplo ataque terrorista ocorrido na capital sueca em dezembro de 2010.

“O que veem é só o princípio, e ainda há mais por vir”, dizia a mensagem inicial que ainda não foi confirmada pelo grupo mencionado nem qualquer outro e que por enquanto apenas acrescenta confusão aos fatos.

McCants traduziu em seu blog e na rede social Twitter essa mensagem que “Abu Suleiman colocou em um fórum árabe jihadista, de onde foi apagada logo depois.

Além disso, o especialista considerou que, desde que o texto foi colocado, o fórum ficou inacessível. “Pode não ser uma reivindicação firme (da autoria). Foi colocado dez minutos depois que aconteceu o atentado”, concluiu.