Dólar R$ 3,28 0,39%
Euro R$ 3,68 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 0,95% 63.257 pts
Pontos 63.257
Variação 0,95%
Maior Alta 5,04% SMLE3
Maior Baixa -3,99% MRFG3
Última atualização 24/05/2017 - 17:20 FONTE

Grandes potências acertam plano para romper impasse na Síria

Líderes de países se reuniram e montaram um plano para acabar gradualmente com os conflitos na região e retomar as negociações de paz

Beirute e Bruxelas – Potências mundiais entraram em acordo hoje sobre um cessar-fogo na Síria dentro de uma semana, dando à Rússia a chance de ajudar Assad a pressionar uma ofensiva que expandiu a influência do Kremlin na região.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, disse que o acordo também foi realizado para acelerar a entrega imediata de ajuda humanitária na Síria.

Ele se pronunciou depois de mais de cinco horas de negociações com a Rússia, Irã, Turquia, Arábia Saudita, e outros países – em uma reunião com o objetivo de deter um recente ataque que resultou na fuga de milhares de novos refugiados.

O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse que um grupo de trabalho liderado pelos EUA e pela Rússia trabalharia nos detalhes do cessar-fogo dentro de uma semana.

O esforço diplomático tem sido complicado pelo sucesso das ofensivas pró-regime, apoiadas pelo força aérea russa. Autoridades árabes, israelenses e norte-americanas afirmaram que era vital que os aliados americanos tomassem posições bem diferentes no momento crucial.

Uma autoridade norte-americana disse mais cedo que a Rússia se ofereceu para interromper parte dos bombardeios em apoio ao presidente Bashar al-Assad até o começo de março. Em resposta, os EUA pediram por um cessar-fogo imediato, argumentando que Moscou aproveitaria o tempo para eStender os ganhos territoriais para o regime, e dizimaria as forças oposicionistas apoiadas pelos Estados Unidos.

O oficial ainda afirmou que os americanos também disseram aos russos que o cessar-fogo deveria ser acompanhado de um acesso humanitário constante em áreas sitiadas, onde centenas de milhares de pessoas foram pegas na disputa. Fonte: Dow Jones Newswires.