Japão aprova plano de reforma tributária

Um dos pontos mais polêmicos aborda o reajuste do Imposto sobre Valor Agregado para endireitar a saúde fiscal do país

Tóquio – O Executivo japonês aprovou nesta sexta-feira o projeto de lei de reforma tributária promovido por seu primeiro-ministro, Yoshihiko Noda, que inclui um polêmico reajuste do Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) para endireitar a saúde fiscal do Japão, o país industrializado com a maior dívida pública do mundo.

A aprovação do projeto de lei aconteceu apesar da oposição de parte do governante Partido Democrático do Japão (PD), e levou o Novo Partido Popular, pequena formação que faz parte do atual Governo de coalizão, a anunciar que abandonava o Executivo, informou a agência de notícias “Kyodo”.

O PD criticou duramente a aprovação da medida, depois de o Governo tê-la aprovado unilateralmente ao fracassar a negociação entre o Executivo e esta formação após oito dias de reuniões.

Além disso, o plano, que prevê aumentar a partir de 2014 o IVA de 5% para 8%, e um ano mais tarde a 10%, tem complicado sua aprovação no Parlamento.

O opositor Partido Liberal Democrático (PLD), que controla a Câmara, também demonstrou desde o início ser contrário à medida, pelo que anunciou que votará contra e tentará bloquear sua aprovação.

Noda, por sua vez, explicou que está decidido a avançar neste tema, transformado em cavalo de batalha de seu Governo, e que para isso colocará em jogo seu “futuro político”.

Se o primeiro-ministro não conseguir persuadir os legisladores japoneses a aprovarem a medida, sua liderança pode ser comprometida e levar ao aumento da pressão sobre um Governo que está há menos de sete meses no poder.