Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

G7 deixa comércio internacional de lado para discutir terrorismo

Os ministros das Finanças das sete potências se reúnem na Itália e também discutirão sobre cibersegurança

Os ministros das Finanças do G7 se reúnem nesta sexta-feira em Bari, Itália, para falar de cibersegurança e luta contra o financiamento do terrorismo, deixando de lado o delicado tema do comércio internacional.

A reunião, que prosseguirá até sábado, será a primeira do grupo com a presença de Steven Mnuchin, secretário do Tesouro designado pelo presidente americano Donald Trump, ex-diretor de Finanças do banco Goldman Sachs.

O debate entre o livre comércio e o protecionismo não estará na agenda da reunião dos ministros das potências do G7, integrado por Estados Unidos, Japão, Alemanha, França, Reino Unido, Itália e Canadá.

Esta é a primeira reunião do grupo desde eleição de Donald Trump, que teve como lema de campanha “Estados Unidos em primeiro lugar”.

Mnuchin, no entanto, está disposto a discutir o tema do comércio em reuniões bilaterais, informou uma fonte americana.

A questão ficará reservada para a reunião dos chefes de Estado e de Governo do G7, no fim do mês na Sicília, informaram as autoridades italianas, anfitriãs do evento.

O comércio internacional já havia sido relegado nas discussões do G20 Finanças, quando as divisões entre os Estados Unidos e seus sócios ficaram evidentes no encontro de março na Alemanha.

Na ocasião, a administração Trump conseguiu retirar do tradicional comunicado final, um texto bastante inofensivo, um pedido de luta contra o protecionismo.

Em abril, um encontro em Washington dos ministros das Finanças das 20 maiores economias do planeta, que inclui países desenvolvidos e emergentes, a situação foi considerada mais calma.

O tema, no entanto, está longe de uma conclusão.

A administração americana considera que seus sócios são “conscientes” de que o governo Trump “quer relações comerciais mais equitativas, equilibradas e recíprocas com os sócios chave”, afirmou esta semana uma fonte em Washington.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s