Fenômeno La Niña será neutro ou frágil nos próximos meses

O "La Niña" é associado a fenômenos como o aumento da atividade dos furacões no Oceano Atlântico

Genebra – A Organização Meteorológica Mundial (OMM) advertiu nesta quinta-feira que espera para o primeiro semestre deste ano condições neutras ou frágeis para o fenômeno meteorológico “La Niña” , mas que esta situação pode mudar a partir de maio.

“Da maioria dos modelos considerados e das opiniões dos especialistas infere-se que as probabilidades de que as condições se mantenham neutras durante a primeira metade de 2017 são de aproximadamente 70-85%”, especificou a OMM em comunicado.

Durante o segundo semestre de 2016, as temperaturas da superfície do Oceano Pacífico Tropical se encontravam no limite que separa as condições frias e neutras.

Em janeiro de 2017, as temperaturas do Pacífico Tropical e de alguns campos atmosféricos tinham claramente voltado para níveis neutros, especificou a OMM.

Estes indicadores fazem com que os cientistas da entidade acreditem que “as condições neutras persistirão durante a primeira metade de 2017”.

“La Niña” e “El Niño” são dois fenômenos meteorológicos que resultam de fases opostas de interação entre a atmosfera e o Oceano Pacífico (aumento ou redução da temperatura da água) e têm efeitos opostos no clima de diferentes lugares do mundo.

Enquanto o “El Niño” acontece quando há um aumento das temperaturas, o que tem diferentes efeitos em cada região do mundo, o “La Niña” contribui para uma queda dessas temperaturas.

Assim, por exemplo, as regiões que sofrem secas durante o “El Niño” tendem a registrar precipitações acima da média com o “La Niña” e vice-versa.

O “La Niña” também é associado com um aumento da atividade dos furacões no Oceano Atlântico.

As projeções dos modelos da OMM para o período após o mês de maio de 2017 incluem uma ampla gama de possibilidades, que vão desde condições frias-neutras até a formação de um episódio de “El Niño”.

“Para o segundo semestre de 2017, o mais provável é que continuem as condições neutras do ‘La Niña’ em 50%”, segundo a organização, que advertiu, no entanto, que a probabilidade de que se forme um episódio de “El Niño” durante o terceiro ou o quarto trimestre de 2017 “é significativa”, em torno de 35-40%.