Família real japonesa também sofre cortes de energia

Segundo o jornal "Nikkei", imperador e sua esposa ficarão no escuro para se solidarizar com os japoneses

Tóquio – A residência do Palácio Imperial do Japão somou-se aos cortes de energia impostos a partir desta segunda-feira em partes da ilha de Honshu para garantir o fornecimento nas zonas afetadas pelo terremoto seguido de tsunami da última sexta-feira.

Segundo a edição digital do diário “Nikkei”, um porta-voz da Família Real indicou que o imperador Akihito e sua esposa, Michiko, decidiram ficar às escuras durante um tempo indeterminado para se solidarizar com os japoneses.

Também preferiram fechar, até nova ordem, sua residência oficial – salvo para realizar atos protocolares como a entrega de credenciais a novos diplomatas estrangeiros – e não viajarão ao exterior, exceto seja necessário para poupar energia.

Além disso, os imperadores cancelaram a tradicional Festa da Primavera, um evento bienal do país. A última vez em que a cerimônia deixou de acontecer foi em 1995, quando outro devastador terremoto atingiu a cidade de Kobe.

O periódico “Yomiuri” publicou no sábado passado uma mensagem de condolências da Família Real às vítimas do tremor de magnitude 8,9 na escala Richter no nordeste do país.

Akihito, de 77 anos, está desde 1989 no Trono do Crisântemo, a dinastia mais antiga do mundo ainda reinante.

Ao contrário de seus antecessores, considerados deuses até a derrota do Japão na Segunda Guerra Mundial, o imperador atua hoje como um monarca constitucional que, segundo a Carta Magna japonesa, é símbolo do Estado e da unidade do povo.