Ex-líder da extrema direita francesa saúda vitória eleitoral

“Contra a má sorte, bom coração”, escreveu no Twitter o patriarca de 87 anos, condenado diversas vezes pela Justiça por declarações antissemitas

O antigo chefe da extrema direita francesa Jean-Marie Le Pen, excluído da Frente Nacional (FN), saudou nesse domingo (6) o sucesso do partido nas eleições regionais ao divulgar um vídeo do aniversário da sua neta Marion Maréchal-Le Pen nas redes sociais com um ‘kippah’.

“Contra a má sorte, bom coração”, escreveu na sua conta de Twitter o patriarca de 87 anos, habituado a provocações e condenado diversas vezes pela Justiça por declarações antissemitas, num comentário a ao vídeo que depois retirou do ar.

O mesmo documento mostrava Christian Estrosi, autarca de Nice e adversário de direita de Marion Maréchal na região da Provence-Alpes-Côte d’Azur (Sudeste de França), dançando com diversos homens e com o kippah na cabeça, usado pelos judeus nas cerimônias religiosas.

O contexto e a data das filmagens não foram divulgados.

Mais tarde, Jean-Marie Le Pen congratulou na rádio RTL a “vitória da Frente Nacional”, definida como “uma vitória da França”, e apelou aos candidatos do partido para permanecerem “mobilizados” para o segundo turno no dia 13 de dezembro.

Cofundador da FN em 1972, o deputado europeu foi excluído do partido em agosto por iniciativa de sua filha Marine, que dirige a organização, após meses de um conflito originado pelas declarações do patriarca sobre o holocausto.

De acordo com as primeiras projeções, a FN ultrapassou largamente a oposição de direita e os socialistas do presidente François Hollande em três regiões decisivas no Norte (Nord-Pas-de-Calais-Picardie), onde fica sua presidenta, Marine Le Pen; no Sudeste (Provence-Alpes-Côte d’Azur), onde a campanha foi conduzida por Marion Maréchal-Le Pen; e no Leste (Alsácia-Champagne-Ardenas-Lorena), com o estrategista do partido, Florian Philippot.

Marine Le Pen obteve na sua região entre 40,3% e 43% de votos, enquanto sua sobrinha Marion conseguiu um resultado ainda mais favorável, ao ter entre 41,2% e 42,9% dos votos, com larga vantagem face à direita (24% a 26%) e ao Partido Socialista (PSF, entre 15,8% e 18,1%).

A Frente Nacional (FN, extrema direita) venceu em pelo menos seis regiões de 13 no primeiro pleito das eleições regionais, com um resultado nacional recorde entre 27,2% e 30,8%, ainda segundo as projeções.