Europa teme fluxo de extremistas se o EI perder Mosul

"A recuperação do reduto do EI no norte do Iraque pode fazer com que os combatentes do grupo EI (...) retornem para a Europa", declarou comissário de Segurança

O comissário europeu de Segurança, Julian King, advertiu sobre um fluxo de extremistas do grupo Estado Islâmico (EI) na Europa se a organização perder o reduto de Mosul após a ofensiva das forças iraquianas.

“A recuperação do reduto do EI no norte do Iraque, Mossul, pode fazer com que os combatentes do grupo EI preparados para combater retornem para a Europa”, declarou o britânico em uma entrevista ao jornal alemão Die Welt.

“Mesmo um pequeno número (de extremistas) representa uma ameaça séria, diante da qual devemos estar preparados”, disse o comissário.

As forças iraquianas iniciaram na segunda-feira uma grande ofensiva para reconquistar a segunda maior cidade do Iraque, último grande reduto do EI no país.

A batalha deve ser longa e difícil. A ONU teme um desastre humanitário para 1,5 milhão de habitantes de Mossul.