EUA vinculam Al Qaeda a ameaças de ataques aéreos no país

O grupo foi relacionado à ameaça divulgada ontem sobre possíveis ataques terroristas com explosivos escondidos em sapatos em voos internacionais

Washington – O governo americano relacionou nesta sexta-feira a Al Qaeda na Península Arábica com a ameaça divulgada ontem sobre possíveis ataques terroristas com explosivos escondidos em sapatos em voos internacionais com destino aos Estados Unidos, informaram fontes oficiais à emissora “CNN”.

A ameaça, que obrigou o governo americano a pedir que as companhias aéreas reforcem seus controles de segurança, estaria ligada ao terrorista Ibrahim Hassan Tali al Asiri, que os Estados Unidos consideram um agente e um fabricante de bombas para Al Qaeda na Península Arábica.

O Departamento de Segurança Nacional dos EUA pediu às companhias aéreas que reforcem suas medidas de segurança, um aumento da vigilância que passaria a utilizar detectores de explosivos para inspecionar os calçados dos passageiros, além de um maior rigor nos controles habituais, informou na quarta-feira a emissora “NBC”.

O Departamento de Segurança Nacional confirmou o alerta em um breve comunicado e a incluiu nas informações sobre possíveis ameaças que compartilha “regularmente”, tanto em nível nacional como internacional, para garantir a segurança pública.

Fontes oficiais explicaram à emissora “NBC” que o recente alerta não está relacionado com os Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, na Rússia, que foi alvo de ameaças terroristas nos últimos meses.

As mesmas fontes precisaram que o alerta não se refere especificamente a uma determinada companhia aérea, país ou momento.

O ataque com explosivos escondidos em sapatos foi iniciativa do terrorista Richar Reid em 2001, quando ele tentou utilizar essa estratégia em um voo da American Airlines que cobria a rota Paris-Miami, feito que levou a um aumento das medidas de segurança após os atentados do 11 de setembro daquele mesmo ano.