EUA retiram parte de apoio ao México no combate às drogas

Os EUA retiraram parte de sua ajuda ao México no combate às drogas, diante da incapacidade de certificar o cumprimento do respeito aos direitos humanos no país

Os Estados Unidos retiraram parte de sua ajuda ao México no combate às drogas, diante da incapacidade de certificar o cumprimento do respeito aos direitos humanos neste país, informou nesta segunda-feira um funcionário do departamento de Estado.

Por lei, “o departamento de Estado deve reter 15% do financiamento do Plano Mérida até que um relatório sobre direitos humanos seja entregue ao Congresso”, disse o porta-voz do departamento de Estado, Mark Toner.

“Este ano, o departamento não foi capaz de confirmar e reportar ao Congresso que o México cumpriu cabalmente com todos os critérios (exigidos por lei) e os 15% foram retirados”.

O valor equivale a 5 milhões de dólares e foi realocado para a luta contra as drogas no Peru, segundo o jornal Washington Post.

Apesar desta medida, Toner destacou que Washington segue apoiando as reformas do sistema judicial e da polícia, “componentes essenciais para se ampliar o estado de direito e proteger os direitos humanos”.

No total, Washington reservou 2,3 bilhões de dólares para o combate ao crime organizado com base no Plano Mérida, firmado com o México em 2008.

O governo mexicano atravessa uma tempestade de acusações de organizações dos direitos humanos após o desaparecimento – há um ano – de 43 estudantes, supostamente detidos pela polícia e entregues a narcotraficantes.

Segundo a promotoria mexicana, os estudantes – confundidos com integrantes de uma quadrilha inimiga – foram executados pelos traficantes e incinerados em um lixão, conclusão questionada por especialistas da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH).