EUA reforçarão controle de vistos estudantis em Boston

Agentes de imigração terão acesso rápido a base de dados informatizados sobre a validade dos vistos estudantis concedidas pelo Departamento de Segurança

Washington – As autoridades federais dos Estados Unidos aumentarão o controle dos vistos de entrada de estudantes no país para ‘verificar sua validade’ em resposta ao atentado de Boston, que revelaram um ‘sério buraco’ na segurança nacional, disse neste sábado o deputado republicano Michael McCaul.

O congressista, presidente do comitê de Segurança Nacional da Câmara dos Representantes, afirmou que o fato de ‘um cidadão estrangeiro ter sido capaz de voltar a entrar nos EUA com o que aparentemente era um visto válido, já que os agentes de imigração não identificaram que ele tinha vencido, é um grande buraco na segurança nacional’.

O congressista se referia a Azamat Tazhayakov, estudante cazaque amigo do suposto autor do atentado na Maratona de Boston, Dzhokhar Tsarnaev, que se encontra detido acusado de obstrução à justiça e destruir evidências da investigação.

Aparentemente, Tazhayakov retornou aos Estados Unidos em 20 de janeiro com um visto que tinha expirado em 30 de agosto. O estudante conheceu Dzhokhar na Universidade Dartmouth, em Massachusetts.

Em um relatório do Congresso divulgado no final desta semana, ficou determinado que a Agência de Alfândega e Proteção dos EUA deverá a partir de agora e com ‘efetividade imediata’ verificar os vistos dos estudantes que entram no país.

Deste modo, os agentes de imigração terão acesso mais rápido a base de dados informatizados sobre a validade dos vistos estudantis concedidas pelo Departamento de Segurança Nacional.

Além disso, Dias Kadyrbayev, também detido por obstruir a justiça, reconheceu que tinha deixado de ir às aulas, requisito exigido para manter a validade do visto.

Os dois estudantes cazaques, ambos de 19 anos, foram acusados de retirar e destruir evidências do quarto após saberem que seu amigo era um dos suspeitos do atentado que matou três pessoas e feriu 280 em Boston.