EUA oferecem ajuda à Espanha após ataque em Barcelona

O secretário de Estado disse que o consulado dos EUA em Barcelona e embaixada do país em Madri estão auxiliando os cidadãos americanos

Washington – O secretário de Estado dos Estados Unidos, Rex Tillerson, lamentou nesta quinta-feira o atropelamento que causou pelo menos treze mortes em Barcelona e afirmou que parece se tratar de um “ataque terrorista” e ofereceu ajuda às autoridades espanholas na investigação sobre o ocorrido.

“Quero falar sobre o que aconteceu em Barcelona, que tem os traços, ao que parece, de mais um ataque terrorista”, disse Tillerson em uma entrevista coletiva no Departamento de Estado.

“Oferecemos nossas condolências pela perda de vidas e pelos ferimentos sofridos por tantas pessoas inocentes, mais uma vez. Seguiremos supervisionando a situação, e estamos preparados para ajudar às autoridades de aplicação da lei e à segurança nacional na Espanha”, completou o chefe da diplomacia americana.

Tillerson enviou uma mensagem a todos os terroristas do mundo e disse que os EUA os encontrarão e os levarão à Justiça.

O secretário de Estado, além disso, disse que o consulado dos EUA em Barcelona e embaixada do país em Madri estão auxiliando os cidadãos americanos que possam ter sido afetados pelo ataque. E pediu aos que estavam na cidade que “informem aos seus entes queridos que estão a salvo”.

A Casa Branca informou pouco antes que o presidente dos EUA, Donald Trump, está “a par” do atentado. O chefe de gabinete, John Kelly, o mantém informado sobre os eventos em Barcelona.

A primeira-dama dos EUA, Melania Trump, enviou seus “pensamentos e orações a Barcelona” em uma mensagem publicada no Twitter.

O governo regional da Catalunha informou inicialmente que uma pessoa morreu e outras 32 pessoas ficaram feridas, dez delas em estado grave, no atentado terrorista no centro de Barcelona. E alertou sobre um possível aumento das vítimas mortais.

As autoridades buscam duas pessoas como suspeitos do atropelamento.