EUA mantêm bisfenol em embalagens de alimentos

O bisfenol A, composto químico utilizado em latas de conserva, embalagens e garrafas plásticas, é apontado como "perturbador endócrino" que promove alguns tipos de câncer

Washington – A agência americana para a segurança dos alimentos (FDA) manteve nesta sexta-feira a autorização para a presença do composto químico bisfenol A nas conservas e sucos, alegando que não há provas científicas sobre sua toxicidade para seres humanos.

O bisfenol A (BPA), composto químico amplamente utilizado em latas de conserva, embalagens de sucos e garrafas plásticas, é apontado como um “perturbador endócrino” que promove alguns tipos de câncer, como mama e próstata.

A organização americana Natural Resources Defense Council (NRDC) apresentou em 2008 à FDA um pedido para proibir o uso do BPA, citando estudos sobre sua possível responsabilidade em anomalias cromossômicas, aborto involuntário, diabetes, problemas cardíacos e disfunção eréctil.

“A FDA rejeitou o pedido da NRDC por falta de dados científicos necessários para mudar a norma vigente”, destacou o órgão federal.

“Apesar de certas questões sobre uma possível ligação do BPA com vários efeitos sobre a saúde, permanecem sérias dúvidas sobre estes estudos, especialmente em relação ao impacto do BPA nos seres humanos”, disse a porta-voz do FDA Doug Karas.

Karas acrescentou que pesquisas realizadas pela FDA mostraram que a exposição dos bebês ao BPA era 84-92% mais baixa do que se acreditava.

O Canadá foi o primeiro país, em 2009, a proibir embalagens de plástico fabricadas com BPA rígido, uma medida seguida por outros países, como França e Dinamarca.

Na França, o BPA será proibido em todas as embalagens de alimentos a partir de 2014.