EUA acreditam que Rússia atacou áreas fora do domínio do EI

O secretário de Defesa dos EUA disse que o primeiro ataque aéreo russo na Síria parece ter ocorrido em área fora do controle do grupo jihadista

Washington – O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, afirmou nesta quarta-feira que o primeiro ataque aéreo russo na Síria parece ter ocorrido em uma área fora do controle do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e alertou para o risco de uma escalada militar na guerra civil síria.

“Quero ser cuidadoso, mas parece que (o primeiro ataque aéreo russo) aconteceu em áreas onde não havia forças do Estado Islâmico (EI)”, declarou em entrevista coletiva Carter, que reiterou que lutar contra os jihadistas sem incluir a saída do presidente sírio, Bashar al Assad, é “jogar gasolina” no conflito nesse país.

Na opinião de Carter, combater o Estado Islâmico sem perseguir paralelamente uma transição política na Síria “eleva o risco de escalada militar e de inflamar o extremismo que a Rússia assegura que é sua maior preocupação”.

A Rússia informou hoje aos Estados Unidos por via diplomática a realização dos primeiros ataques aéreos na Síria, após ter deslocado duas dúzias de caças e tropas ao leste do país, reduto de Assad.

Segundo fontes do governo americano, os bombardeios foram efetuados ao norte da cidade de Homs e de Hamah, que não está sob controle do EI, mas sob disputa de forças do regime sírio e da oposição.

Para o secretário de Defesa, o comportamento da Rússia na Síria segue uma lógica “contraditória”.

Carter assegurou que a prioridade dos Estados Unidos agora é evitar incidentes com a Rússia que ponham em risco a vida de militares americanos e da coalizão internacional que realiza ataques aéreos contra posições do EI na Síria e no Iraque.